Blog do curso de Tecnologia em Logística da Faculdade INESUL

28
Fev 13

Como parte do projeto IPv6.br, que tem por objetivo fomentar o uso do novo protocolo IP no Brasil, o CGI.br e o NIC.br oferecem, através desse sítio Web, o curso on-line Introdução ao IPv6.

 

Este curso foi criado para atender, principalmente, aos estudantes, professores, técnicos, analistas e engenheiros de computação e redes. Contudo, os módulos introdutórios são também adequados a um público mais diverso, sem conhecimentos técnicos, como usuários Internet, gestores e interessados em geral.

O curso está organizado em 10 módulos:

  • Introdução
  • O Protocolo IP
  • Implantação do IPv6
  • Cabeçalho IPv6
  • Endereçamento do IPv6
  • Serviços Básicos do IPv6
  • Segurança
  • Roteamento e Gerenciamento
  • Coexistência e Transição
  • Mais informações

Ao final de cada módulo, são apresentadas algumas questões que permitem a auto avaliação do aprendizado. Além disso, há um glossário onde são apresentados os significados dos termos mais importantes utilizados no decorrer do curso.

Todo o conteúdo do curso está escrito e narrado em português e para acessá-lo, basta acessar o endereço:

http://curso.ipv6.br/
 
publicado por INESUL às 16:40

27
Fev 13
”A Grande Mostra Nacional de Inovação Tecnológica”

A exemplo da trajetória de sucesso das edições anteriores, a 9ª Feira Eletromecânica e Construção Civil 2013 reunirá empresários do circuito nacional demonstrando o que há de excelência em equipamentos, máquinas, ferramentas e serviços direcionados aos segmentos da metalúrgica, mecânica, elétrica, eletrônica e da construção civil.

Agendada para o período de 23 e 26 de abril de 2013, a 9ª, Feira 2013 é promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI em Londrina) , com o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas  e de Material Elétrico de Londrina (SINDIMETAL Londrina), e com o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Norte do Paraná (SINDUSCON Norte/PR).

Realizada na ampla e moderna estrutura do SENAI em Londrina, a Feira vem consolidando-se a cada nova edição como um importante elo de intercâmbio tecnológico e como um excelente canal de negócios, registrando mais de 10 mil visitantes focados no perfil dos expositores da Feira.

Além das alas expositivas, constam na programação da Feira a realização de palestras com temas relevantes ao contexto do evento e ministradas por conceituados profissionais do cenário nacional. O Prêmio CAIXA de Projetos Inovadores com Aplicabilidade na Indústria é outra importante ação da mostra que oportuniza a participação de acadêmicos e docentes das principais universidades do Brasil a inscrevem seus projetos com o intuito de fomentar a integração universidade x empresa.

Os excelentes resultados alcançados com a edição anterior da Feira demonstram uma dinâmica produtiva e satisfatória entre os públicos envolvidos – expositor, investidor, pesquisador, acadêmico e comunidade em geral, impulsionando os realizadores SENAI,  SINDIMETAL  Londrina e SINDUSCON Norte/PR a investirem para que a 9ª. Feira Eletromecânica e Construção Civil 2013 seja ainda maior e supere as expectativas de todos os participantes.

publicado por INESUL às 16:07

26
Fev 13

Desde a criação do Microempreendedor Individual (MEI), o número de novos empresários não parou de crescer no país. Segundo recente pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Brasil já possui mais de 2,5 milhões de empreendedores formalizados.
No setor de transporte este cenário não poderia ser diferente. Com o intuito de capacitar esses trabalhadores, a Confederação Nacional do Transporte (CNT), a Escola do Transporte e o Sest Senat, em parceria com o Sebrae, lançam o curso Gestão de Negócios para Microempresas e para Empreendedores Individuais do Transporte.
Voltado para transportadores de cargas, de escolares e de turismo, o curso será realizado na modalidade de Educação a Distância (EAD). A capacitação é gratuita e os interessados receberão em casa material impresso e CD de áudio. Para cada segmento do transporte, serão oferecidos três módulos, com conteúdos específicos. Com 160 horas de duração, a expectativa é que o curso seja concluído em nove meses.
A capacitação abordará temas como gestão empresarial; conhecimento sobre o mercado de transporte; postura profissional no gerenciamento de seu negócio; conhecimento sobre a legislação e documentação do transporte; desenvoltura e preparo para atendimento aos clientes, entre outros.
“Os avanços tecnológicos, a alta competitividade e a busca por serviços de qualidade demandam uma melhor qualificação dos profissionais. Nesse sentido, o curso a distância dará oportunidade para que os profissionais de transporte, dispersos em todo o país, superem as dificuldades de acesso à educação. Esperamos, assim, atingir cerca de 70 mil transportadores em três anos”, explica a diretora da Escola do Transporte, responsável pela gestão do projeto, Lucimar Coutinho.
Inscrição Para iniciar o curso, o empreendedor deverá efetuar sua inscrição nas unidades do Sest Senat em todo o país, nas sedes regionais do Sebrae ou entrar em contato com as centrais de atendimento das instituições pelos telefones:  0800 728 2891 begin_of_the_skype_highlighting GRÁTIS 0800 728 2891 end_of_the_skype_highlighting  (CNT/ Sest Senat) ou  0800 570 0800 begin_of_the_skype_highlighting GRÁTIS 0800 570 0800 end_of_the_skype_highlighting  (Central de atendimento Sebrae).
Ao se inscrever, o aluno receberá por correio o 1º CD de áudio, acompanhado do 1º Caderno do Empreendedor. Após completar as atividades propostas no caderno, ele deverá responder a um questionário e enviar para a central do projeto identificando o seu nome e CPF. Essa ação o habilitará a receber o próximo módulo.
Ao final do desenvolvimento dos três cadernos, o empreendedor receberá além do certificado um adesivo para ser afixado em seu veículo e que indicará que ele participou com êxito do programa.

publicado por INESUL às 15:50

25
Fev 13

O saque de cargas nas estradas paulistas reflete no aumento de até 15% no valor cobrado pelos fretes, já que as empresas precisam desviar as rotas de entregas. Na transportadora Americana, em Campinas (SP), quando os caminhões precisam passar pela rodovia Regis Bittencourt, que liga São Paulo ao Sul do país, eles desviam o trajeto para evitar um trecho de 20 quilômetros entre as cidades de Juquitiba (SP) e Miracatu (SP), onde existe maior incidência de saques. Esse desvio faz os motoristas andarem 100 quilômetros a mais, gerando um aumento no frete, além de duas horas a mais no percurso.


O vice-presidente da empresa Silvio Sanches, afirma que esse desvio é necessário. "Acontecem saques todos os dias e o seguro não cobre, por isso nós precisamos nos prevenir e a única solução é aumentar o frete", disse o empresário, que também informou que a transportadora teve dez carretas saqueadas em 2012.


Os ataques são promovidos por grupos à pé, que utilizam em geral pedras e pedaços de pau para intimidar os motoristas, que são obrigados a abrir o compartimento de carga para ter a mercadoria saqueada. Ao contrário das ações do crime organizado, que têm um foco específico, esses ataques não tem um objetivo claro. Segundo a Polícia Rodoviária, os criminosos recolhem tudo o que podem carregar nas costas e não têm restrição de carga.


O coronel Paulo Roberto de Souza, que é assessor de segurança da Federação das Empresas de Transporte de Carga do Estado de São Paulo (Fetcesp), afirmou que os problemas maiores acontecem nas áreas paulistas das Rodovias Regis Bittencourt e Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte (MG). "O horário crítico é entre 6h e 10h, então eles precisam evitar esse horário, é uma medida preventiva", afirmou.



Motoristas


O motorista da transportadora Americana José Roberto Ricci foi um dos que tiveram o caminhão saqueado. "É muito assustador, eles prendem a gente na cabine, não deixam a gente sair e tiram tudo". Já o motorista de outra empresa Carlos Pereira pede maior presença da Polícia Rodoviária. "Eles não ficam perto da gente, precisava ter um acompanhado, assim eles vão conseguir diminuir o índice de roubos", disse.


A Polícia Rodoviária de São Paulo alegou que mapeou os lugares mais vulneráveis, mas que é complicado combater os criminosos porque muitas vezes são crianças e adolescentes que vivem em bairros carentes perto das estradas.
publicado por INESUL às 15:43

24
Fev 13

Cerca de 400 trabalhadores portuários avulsos (TPAs) que responderam à chamada do turno das 7h às 13h, no Porto de Paranaguá, cruzaram os braços na manhã desta sexta-feira (22), mesmo com a liminar concedida pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) impedindo o movimento. Eles aderiram ao movimento dos trabalhadores portuários de todo o país que decidiu por realizar uma greve geral nos portos do país para demonstrar o descontentamento com a Medida Provisória n. 595/12, editada pelo Governo Federal em dezembro do ano passado. O dado é do Órgão Gestor de Mão de Obra Portuária (Ogmo), mas não leva em conta os caminhoneiros ligados à Cooperativa de Transportes e à Coopadubo, que também aderiram ao movimento.

A paralisação dos trabalhadores impossibilitou a operação dos 16 navios, no período da manhã, que estão atracados no cais dos portos de Paranaguá e Antonina. Somente um navio de granel líquido, que não depende de mão de obra, operou normalmente. Nas demais fainas, os trabalhadores foram requisitados, entraram no Porto, mas não assumiram as funções.

Nos terminais privados, as estruturas de recepção de caminhões e vagões permaneceu normal pela manhã. Somente no recebimento dos granéis do corredor de exportação (parte pública), houve paralisação.

A manifestação dos trabalhadores foi totalmente pacífica e não foram registrados distúrbios ou aglomerações decorrentes do protesto.

publicado por INESUL às 15:34

Sacas de 60 quilos carregadas nas costas, para a carga e descarga do café, estão com os dias contados no País. A nova onda do setor, que deve produzir mais de 50 milhões de sacas do grão nesta safra, é a granelização total da cultura. O café vai diretamente do campo para o caminhão, e do caminhão para os silos ou para armazéns, mas agora ficam armazenados em grandes bags de 1,2 mil quilos cada. O cafeicultor Hugo Guimarães, dono de uma lavoura com 193 hectares, em Guaxupé, no sul de Minas Gerais, faz parte desse grupo de produtores que está revolucionando a logística do grão.

Na safra passada, Guimarães entregou à Cooxupé, com sede no município – a maior cooperativa cafeeira do mundo –, todo o seu café a granel, em vez de acondicioná-lo nas tradicionais sacas de estopa. A cooperativa está apostando nessa modalidade logística desde 2011 e também incentivando os produtores a começar a granelização desde suas propriedades. Segundo Lúcio Dias, superintendente de operações e mercado interno da Cooxupé, no ano passado foram recebidas mais de cinco milhões de sacas do grão, das quais cerca de 80% foram entregues a granel. O processo é inédito na cafeicultura, mas habitual em commodities como o milho e a soja. “Queremos chegar a 100% de granelização até 2015”, afirma Dias.

Para a granelização total do café, os produtores precisam fazer alguns investimentos, mas os ganhos compensam. Guimarães, por exemplo, investiu R$ 13 mil em máquinas e na construção de um silo na fazenda. Com produção equivalente a 3,4 mil sacas na safra de 2012, o investimento já se pagou. “Somente em sacaria, economizamos mais de R$ 10 mil”, diz Guimarães. “A mudança veio para ficar, porque facilita a vida do produtor.” Mas a economia mais efetiva de Guimarães não foi com embalagem e sim em mão de obra. Em safras passadas, o cafeicultor contava com mais de cinco funcionários temporários após a colheita. Na última, foi necessário apenas um para operar os novos equipamentos. “A mecanização traz mais conforto e torna a mão de obra mais produtiva”, diz Guimarães. Agora, os grãos são transportados do silo, por uma tubulação, e são despejados diretamente no caminhão, que segue para a cooperativa. Além da substituição da mão de obra pela mecanização, o novo o modelo requer profissionais mais qualificados para operar as máquinas. A aposta da Cooxupé na granelização de toda a cadeia fez com que o recebimento, armazenamento e distribuição do grão ganhassem velocidade e eficiência. A cooperativa, que tem 12 mil cafeicultores associados e faturou R$ 3,1 bilhões em 2011, já investiu R$ 75 milhões no Complexo Industrial Japy, inaugurado no início de 2011. Para Dias, o complexo vem promovendo mudanças significativas na cadeia cafeeira. “Além da melhor qualificação dos trabalhadores, tivemos um grande avanço tecnológico. Temos hoje um sistema inédito totalmente automatizado”, diz.

O complexo Japy foi a primeira unidade construída para receber café a granel no País. Sua capacidade diária de recebimento é de 35 mil sacas por dia e ainda pode expedir 25 mil sacas por dia. São três armazéns para as bags e 20 silos, totalizando 1,5 milhão de sacas. “Além da velocidade de armazenagem, o acondicionamento em bag é melhor que em saca”, diz Benedito Stampone, gerente de operações da cooperativa. “Descarregamos uma carga equivalente a 250 sacas em oito minutos”, diz. “Antes, levava uma hora.”

Atualmente, a capacidade total de armazenagem da cooperativa alcança 5,2 milhões de sacas de café. Segundo o presidente da Cooxupé, Carlos Alberto Paulino da Costa, o Japy tem mudado a logística do escoamento do grão no sul de Minas Gerais. “Foi o maior investimento da cooperativa nos últimos anos”, diz Paulino da Costa. Mas a cooperativa não deve parar por aí. O projeto prevê ainda a construção de outros 30 silos para o armazenamento do grão. Além disso, em outubro do ano passado foi inaugurada a segunda etapa do complexo Japy, uma unidade totalmente automatizada de limpeza, para retirar impurezas como pedras, separar os grãos por tamanho e cor, e eliminar os grãos defeituosos, com capacidade de processamento de 600 mil quilos de café por dia.
O complexo industrial foi idealizado em 2009, com o projeto-piloto na unidade da cooperativa em Monte Santo de Minas. “Quando mais de 60% dos cooperados entregaram o café a granel, tivemos a certeza de que o projeto daria certo”, diz Paulino da Costa.

Neste ano, a cooperativa deve investir nas filiais. A de Monte Carmelo, a 460 quilômetros de Guaxupé, vai ganhar um novo laboratório de análise e classificação, por R$ 1 milhão. A Cooxupé conta com 16 unidades administrativas e seis escritórios avançados que prestam assistência técnica aos produtores. Nos últimos anos, a cooperativa exportou mais de dois milhões de sacas de café. “Estamos preparados para crescer ainda mais”, diz Paulino da Costa.

 

Edital: Patricia Miranda

publicado por INESUL às 15:07

21
Fev 13

Com investimento de R$ 160 milhões e 147.000 m² de área construída, o Mega Centro Logístico Curitiba receberá operações de armazenagem de empresas de diversos setores, entre elas varejistas e operadores logísticos. Neste mês, a Capital Realty começa a colocação dos pilares pré-moldados dos armazéns e a construção da portaria, área de apoio aos motoristas e subestação de energia. Será dada continuidade aos trabalhos de pavimentação, dos serviços preventivos de incêndio (sprinklers e hidrantes) e cercamento.

Já estão completas a pavimentação definitiva do estacionamento de carretas, além do início da execução das obras de infraestrutura de entrada de energia, telefonia e água, cercamento definitivo da área e a pré-montagem da tubulação de sprinklers – sistema de chuveiros automáticos para combate a incêndios.

O Mega Curitiba fica localizado em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, às margens da BR 116 e a apenas 1 km do anel rodoviário de Curitiba, o qual faz interconexão com seis estradas federais, além de permitir o acesso às principais estradas da capital paranaense.

publicado por INESUL às 15:35

20
Fev 13

 

Registro Profissional de Tecnólogo - Principal (Pessoa Física)
 

Preencher o requerimento de Registro Profissional de Tecnólogo
Uma foto 2x2 ou 3x4;
Diploma original (fora da moldura) e cópia simples (frente e verso)   
Cópia do Histórico Escolar Universitário;
Cópia da CTPS (carteira de trabalho e previdências social) onde consta: 
 a) folha de rosto com foto e verso,   

 b) qualificação civil,   

 c) dados pessoais do trabalhador,   

 d) contrato de trabalho (última página e a seguinte);   

 e) anotações de salário (última página e a seguinte);   

 f) anotações de férias (última página e a seguinte);   

 g) anotações gerais (última página e a seguinte).                                                                                                                                   Cópia simples do RG, CPF, título de eleitor, certificado militar e

 comprovante  de residência;
  Pagamentos: - Anuidade R$ 200,00 (proporcional ao mês do registro)              

 - Inscrição R$ 25,00 e                   

 - Carteira de Identidade Profissional do CRA-PR R$ 25,00

 

Modelo antigo:      

 

O Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro enviou
proposta ao CFA para a modernização da CIP
(Carteira de Identidade Profissional) dos registrados nos CRAs.

 

 

Identidade Profissional

 

 
 
 
 
 
 
O atual modelo necessita de elementos que ofereçam aos profissionais
de Administração mais segurança para os diversos processos de
identificação pessoal e profissional. Nesse sentido, a certificação digital
é proposta como meio de inserção de diversas informações sobre o
administrador, sobre a vida pessoal e profissional.

 

 

 

 

 

 

 

 
“Os Conselhos devem proteger e garantir as melhores condições de
colocação no mercado de trabalho, seja pelo incentivo e auxílio
no crescimento profissional, seja pela oferta de condições mais
competitivas no mercado ou de novos horizontes e oportunidades,
através de um novo instrumento de cidadania: uma nova carteira
profissional que os coloque no século 21”, disse o Adm Wagner
Siqueira, Presidente do CRA-RJ ao comentar o projeto em Plenário.

 

publicado por INESUL às 07:02

19
Fev 13

 

A Brasil Log - Feira Internacional de Logística 2013,

 acontece entre os dias 16 e 18 de Outubro em Jundiaí,

a 30 Quilômetros da Capital Paulista promete movimentar o mercado internacional.

Em sua Quarta Edição, a Brasil Log reúne cerca de 100 expositores de todos

os setores que englobam o universo logístico,

desde a mão de obra especializada até movimentação de cargas e outros serviços.

 É uma das poucas feiras do setor a englobar diferentes nichos deste mercado.

O objetivo é criar um espaço onde investidores, empresários e profissionais da

 área possam conhecer produtos, tendências, soluções e lançamentos,

 atraindo um público altamente qualificado, em busca de networking e negócios.

Os visitantes também poderão trocar experiências e assistir a palestras e workshops.

A expectativa do evento é atrair cerca de 10 mil pessoas de todo o país ao

Parque Comendador Antônio Carbonari, o Parque da Uva,

 um espaço de 53 mil m2 divididos em 3 pavilhões cobertos mais uma extensa área externa.

publicado por INESUL às 16:38

18
Fev 13

O coordenador Juarez Thives conta que a  demanda crescente de pessoas capacitadas nessa função contrasta com a evidente carência de oferta de profissionais. É uma boa aproveitar esse gap!

1) Qual a duração do curso e a média salarial do profissional formado? A duração da Graduação em Logística é regulamentada pelo Ministério da Educação. O Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia, lançado em 2006, estabelece uma duração mínima de 2 anos. São vários os fatores que influenciam a faixa salarial, para cargos de Supervisor ou Analista de logística a média fica em torno de R$ 3.500 a R$4.000. Já nos cargos a nível gerencial, a media fica em R$ 6.000, podendo chegar a R$15.000. 2) Em que áreas pode atuar? O graduado em Logística é o profissional especializado em aquisição, recebimento, armazenagem, distribuição e transporte. Na área logística de uma empresa ou organização, planeja e coordena a movimentação física e de informações sobre as operações multimodais (terrestre, aéreo, marítimo, fluvial, etc) de transporte. Também atuam no desenvolvimento e gerenciamento de sistemas logísticos de gestão de materiais de qualquer natureza, o que inclui redes de distribuição e unidades logísticas, processos de compras, armazenamento, movimentação de cargas e embalagem de materiais, sistemas de abastecimento, programação e monitoramento do fluxo de pedidos. 3) Qual o perfil do profissional? Deve ser um profissional com a compreensão de que a Logística é parte integrante da estratégia corporativa, adquirindo conhecimentos para atuar na área, tendo em vista aspectos de racionalização contínua dos processos logísticos e na identificação de oportunidades de negócios, aumento da produtividade e consequentemente redução de custos. Deverá atuar com capacidade de reflexão, análise e síntese. Poderá ainda ter habilidade para criar a estrutura necessária de métodos, procedimentos e técnicas, que resultem em valores para clientes, fornecedores, acionistas, parceiros estratégicos e comunidade, desenvolvendo atitudes que privilegiem a visão estratégica para o gerenciamento de negócios, tanto em nível nacional quanto mundial. O formado poderá assessorar as organizações, na área de abrangência da logística, para a tomada de decisão nos níveis estratégicos e táticos bem como conduzir a empresa na sua inserção nos diversos tipos de cadeias produtivas. Atuar no inventário de estoques, sistemas de abastecimento, programação e monitoramento do fluxo de pedidos 4) Há alunos da Estácio que se destacaram e são famosos no mercado? Sim, temos vários cases de sucesso, temos ex-alunos na diretoria de logística da rede Bob's, uma como Gerente de Logística numa Petrolífera na Noruega, outro  contratado para trabalhar numa cadeia de supermercados no Canadá, só para citar alguns exemplos. 5) O mercado está atrativo, numa boa fase? Por que? O campo da Logística evoluiu de um tratamento mais restrito, voltado para a distribuição física de materiais e de bens, para um escopo mais abrangente, em que se considera a cadeia de suprimentos como um todo, englobando as atividades de compra, administração de materiais e distribuição em conjunto. Assim, não se limita a uma única função, mas representa, de fato, uma área de integração dessas distintas funções do passado, exigindo profissionais bem preparados. O novo ambiente competitivo e a possibilidade de evolução do país trazem notáveis oportunidades no mercado de trabalho para profissionais de Logística. À medida que as empresas planejam a modificação de suas bases empresariais, passam a demandar o desenvolvimento e a implementação de estratégias logísticas baseadas nos novos conceitos e, obviamente, irão requerer profissionais capazes de implementá-las, com uma formação consistente. A demanda crescente pelo novo perfil contrasta com a evidente carência de oferta de profissionais. 6) Que diferencial o curso da Estácio oferece em relação aos demais? Podemos ressaltar na Graduação em Logística a inovação e a absorção dos alunos pelo mercado de trabalho através de estágios e empregos. A inovação do curso está na diversidade de abordagens teórico-metodológicas e de recursos utilizados: biblioteca virtual para o professor e para o discente, além do acervo presencial; webaula, entrega de fascículos contendo capítulos de livros a cada discente; oferta de disciplinas online, preparando o aluno para aprendizagem através das novas tecnologias; o uso sistematizado dos laboratórios de informática, que articulam e complementam as atividades de leitura e reflexão coletiva, típicas da prática em sala de aula. Além da constante qualificação, titulação e experiência profissional do corpo docente. Em relação as oportunidades de atuação no mercado, destacamos a parceria com grande número de organizações permitindo a inserção do aluno seja na condição de estagiário, seja como profissional.

publicado por INESUL às 04:37

Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11

17
22
23



subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

28 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO