Blog do curso de Tecnologia em Logística da Faculdade INESUL

04
Dez 12

O secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, iniciou nesta segunda-feira (3) uma série de contatos nos Estados Unidos para atrair parceiros na implantação de um aeroporto de cargas na região de Londrina. Até quinta-feira (6), o secretário participa de encontros com empresários do setor aeroviário e com a direção da Agência dos Estados Unidos para o Comércio e Desenvolvimento.

A agência fornece recursos a fundo perdido para obras de infraestrutura em países em desenvolvimento e incentiva investimentos de empreendedores norte-americanos no exterior.

A convite do governo dos EUA, o secretário levou a proposta do aeroporto Arco Norte para captar recursos que garantam o estudo de viabilidade econômica, técnica e ambiental do projeto.

“A intenção é aproveitar a oportunidade e viabilizar um projeto que atenda não só o Paraná, mas boa parte do Brasil com o transporte de cargas aeroviárias”, disse o secretário Richa Filho.

Além de Londrina, o aeroporto atenderia diretamente municípios como Ibiporã, Cambé, Rolândia, Arapongas e Apucarana. Segundo Richa Filho, a obra também deverá comportar a demanda de estados vizinhos e parte da região central do país.

O governo do Paraná já vem mantendo há alguns meses contatos com a Agência dos Estados Unidos para ajudar na atração de empresas americanas interessadas no projeto. O reforço nos contatos por Richa Filho servirá também para negociações com empresas de aviação, transporte de cargas aéreas e de logísitica. Com o aeroporto, o governo estadual quer induzir o desenvolvimento econômico no Norte do Paraná, com a instalação de novos parques industriais na região.

O Paraná conta hoje com 40 aeroportos e aeródromos públicos. Desse total, 36 são administrados pelas prefeituras em parceria com o governo do Estado. Também possui quatro aeroportos (Afonso Pena, Bacacheri, Londrina e Foz do Iguaçu) sob a gerência da Infraero. Seis aeroportos possuem voos regulares: Afonso Pena, Londrina, Maringá, Cascavel, Foz do Iguaçu e Francisco Beltrão.

publicado por INESUL às 19:55

03
Dez 12

O tráfego nos acessos ao Porto de Paranaguá começou a ser reordenado a partir deste mês. Em parceria com o Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) e os principais terminais, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) desenvolveu a proposta de rotas exclusivas para o acesso à descarga, partindo do Pátio de Triagem. O objetivo da mudança é desobstruir as principais vias da cidade.

As mesmas ruas e avenidas fundamentais para as operações portuárias são também para os moradores, pois dão acesso ao centro. “Organizando o fluxo dos caminhões nas vias de acesso ao Porto, se organiza todo o trânsito da cidade. Com esse reordenamento damos agilidade e maior mobilidade para os usuários do porto e mais segurança a todos que circulam pela região”, afirma o superintendente a Appa, Luiz Henrique Dividino.

MUDANÇAS – Com a implantação do novo fluxo, fica estabelecida a Avenida Bento Rocha como rota única de entrada dos caminhões que saem do Pátio de Triagem. A via permanece mão-dupla. Os caminhões com destino aos terminais ANNP e AGTL deverão pegar aquela avenida e depois a Avenida Coronel Santa Rita e, em seguida, a Ayrton Senna.

O acesso ao terminal da Bunge será pela Rua Manoel Bonifácio. A mesma via será utilizada pelos caminhões que seguirem para a Cotriguaçu e a Coamo Fábrica. Além disso, a rua servirá aos caminhões de contêineres, em acesso ao Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP). Esses caminhões do TCP terão saída obrigatória pela Avenida Portuária. A via em frente ao terminal passa a ser mão única até a avenida (sentido válido apenas para os caminhões).

Os caminhões de veículos (cegonheiras) terão acesso aos pátios pela Avenida Coronel José Lobo e, em seguida, pela Rua Manoel Corrêa. Os caminhões que tiverem acessando os demais terminais ou o Corredor de Exportação deverão seguir pela Avenida Portuária: reto para a Interalli, Louis Dreyfus e Centro-sul; já para a Cargill, Coamo e o Corredor pela via que segue próxima ao trilho. “Com essa nova dinâmica do tráfego nas vias de acesso, esperamos que o movimento se pulverize, com o aproveitamento de vias subutilizadas”, explica o diretor técnico da Appa, Paulinho Dalmaz.

APOIO – Várias placas instaladas pelos terminais indicam os novos fluxos. Além disso, até que os caminhoneiros se acostumem à mudança, agentes de trânsito atuarão na área. “Agentes em quatro viaturas, dois carros e duas motos, trabalharão nesse primeiro mês orientando os motoristas. Eles ficarão posicionados em pontos mais problemáticos do trânsito, como a via em frente ao TCP”, afirma o diretor do Demutran, Marcos Antonio Amaral.

Uma das orientações do órgão é que os caminhoneiros respeitem a fila. “Acredito que será uma mudança tranquila. Com certeza, tirando um pouco do trânsito pesado, os veículos leves e ônibus poderão trafegar com mais segurança”, completa.

Os terminais se responsabilizarão também em desenvolver campanha de orientação, com a distribuição de panfletos no Pátio de Triagem. O cumprimento das novas medidas de trânsito nas vias de acesso ao Porto será monitorado pela Appa, pelo Demutram e pela Polícia Militar.

publicado por INESUL às 19:58

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

28 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO